Decisão – nada pode impedir alguém realmente comprometido

Decisão é a coisa mais importante que você pode ter em toda a sua vida. Tudo que eu decidi fazer até hoje, eu fiz. Quando você realmente decide por algo, aquela decisão das entranhas, que brota da alma, nada pode te impedir. Eu tenho aprendido a reconhecer quando tomo uma decisão com verdade e quando tomo ela só da boca pra fora.

A decisão que me levou da primeira para a segunda foto me invadiu numa manhã de novembro. O ano era 2015 e fazia cinco meses que eu havia voltado das férias na Europa. Naquela viagem, a primeira que fiz ao velho continente, eu sofri meu segundo aborto. Já saí de férias acima do peso, por conta da gravidez que eu escondia de todos, e voltei ainda mais cheinha, pois busquei consolo para a minha perda em comida ruim e cerveja de ótima qualidade.

Algumas noites antes eu havia me assustado comigo pela primeira vez ao ver uma foto compartilhada por uma amiga, onde eu aparecida visivelmente mais gorda entre algumas colegas de trabalho. Não comentei com ninguém, mas aquela mulher na foto me causou dor. Eu não percebi no dia a dia as mudanças acontecendo no meu corpo.

Falei que precisava fazer regime, mas ainda não doia o suficiente para me levar a agir. Naquela manhã de novembro, no entanto, flagrei meu próprio corpo no espelho sem querer, enquanto me esforçava para caber num jeans, semi-deitada na cama.

“Eu nunca vi minha barriga tão grande”, pensei.

Imediatamente, abri o celular e fui direto no instagram de uma fisiculturista que defende o emagrecimento saudável. Carol Crozeta é uma das profissionais mais respeitadas nesse assunto em Curitiba e eu estava disposta a pagar o preço para mudar. Consegui uma consulta apenas para o mês seguinte, mas fui surpreendida por uma ligação no mesmo dia, me convidando para um encaixe dentro de três dias. O universo estava a meu favor?

Na quinta-feira, depois de tirar a primeira foto no consultório de Carol, fui direto para o supermercado comprar alimentos saudáveis e, naquela mesma noite, já preparei frango e salada para o jantar.

– Mas você vai começar a fazer dieta no fim de semana? Deixa pra segunda.

– Eu também quero começar uma a malhar, mas agora já é fim de ano. Vamos deixar passar as festas?

– Sério que você vai gastar dinheiro comprando um tênis novo, pra abandonar em menos de um mês?

Eu estava decidida. E o mais importante, o sucesso dependia 100% de mim, não importa o que os outros diziam.

A segunda foto foi tirada exatamente 45 dias depois da primeira consulta. Eu disse pra Carol que não havia notado diferença nenhuma no tamanho da minha barriga e o peso na balança tinha variado menos de dois quilos. Ela, então, colocou as duas fotos lado e lado e eu fiquei em choque. Aquele corpo de antes me impactou muito mais.

– É sério que eu estava desse tamanho? Perguntei incrédula.

Nos meses seguintes, eu mudei de modalidade esportiva quatro vezes, até encontrar o treinamento funcional no Studio Daniel Almeida. Comecei a sentir tanto prazer em praticar exercícios físicos, que passei a frequentar a academia todos os dias. Continuava bebendo dois litro de água todos os dias, mais um litro de chá. E meu celular despertava a cada três horas para me avisar da marmitinha.

Não passei fome, não fiz dieta mirabolante. Só comecei a comer menos comida industrializada e abri mão do açúcar e do carboidrato simples presente na massa tradicional da pizza e do macarrão.

Comia bem e não faltava um dia sequer de treino, que passaram a ser diários por escolha minha. Eu não perdi quilos na balança, ganhei um corpo saudável e muito mais disposição.

E quando você se trata bem, o universo te trata melhor ainda. Nesse novo estilo de vida, conheci gente diferente, que me ensinou que eu podia cuidar melhor também dos meus pensamentos e emoções. Conheci a meditação e fui me afastando, sem culpa nenhuma, de uma porção de gente com as quais eu convivia por pura obrigação social.

Eu não sei explicar como, mas, em menos de um ano, minha vida toda melhorou muito e eu tenho certeza que foi a partir dessa mudança de hábitos.

Ter aquela disposição e vida saudável de volta depende 100% de mim. Eu tenho malhado no meu quarto três vezes por semana e recentemente aboli o açúcar da minha dieta mais uma vez, além de ter aumentado o consumo de proteína. Quero emagrecer? Não, quero cuidar bem do meu corpo e da minha mente.

A emoção que eu senti naquela manhã de novembro de 2015, é a mesma que eu senti quando decidi ser feliz de novo e reservei o hostel em Caraíva, em março de 2018. Também é a mesma de quando cheguei na minha casa, em Curitiba, num domingo qualquer de setembro de 2019, e decidi que meu livro, Te mando flores da Grécia, seria lançado.

Isso significa que eu virei uma máquina realizadora? Longe disso. Acreditar em mim mesma é um desafio diário, e é por isso que eu resolvi compartilhar essa foto e essa história aqui. Porque eu quero me lembrar, com minhas próprias palavras, que eu já fiz isso antes e posso fazer quantas vezes for necessário.

Seja qual for sua decisão, sinta que ela vem da alma e aja agora. Não espere passar a pandemia, chegar a segunda-feira ou o dia 1º.  Por menor que seja, dê agora mesmo o primeiro passo. Mande o recado para o universo, eu garanto que ele vai responder de volta.

 

Deixe uma Resposta