Edimburgo e as histórias que ninguém saberá contar

Edimburgo tem cerca de 1.200 anos de história e me encantou. Eu pensei muito sobre como a gente molda o ambiente em que vivemos.

Parei alguns minutos na Starbucks na old town pra acessar o wifi e fiquei pensando naquele prédio medieval deitando sua sombra sobre mim. O vento estava um pouco gelado e havia um grupo de crianças brincando ao meu lado.

Pensei em como era bom estar no momento presente e perceber a dinâmica daqueles mini-turistas indianos. Que mundinho carregam dentro de si? Estamos no mesmo local e nunca nos vimos antes, qual será a sua percepção sobre tudo isso que estamos experimentando em Edimburgo?

Olhei para a imensa porta centenária da Starbucks e saí do presente. Volei ao século IX e tentei imaginar um pouco do que pode ter acontecido ao longo de todos esses séculos ali naquele mesmo chão, entre aquelas mesmas paredes.

Esse lugar já foi a casa de quantas famílias escocesas?

Talvez esse prédio já tenha sido importante para a cidade de Edimburgo. Talvez tenha sido um armazem, uma ferraria, uma pensão…

Quantas pessoas morreram aqui dentro e em que circunstâncias?

Quantos casais se amaram nos quartos acima deste salão que hoje abriga uma das cafeterias mais capitalistas do mundo?

Quanto passado completamente desconhecido guardam essas pedras centenárias?

Muitas coisas aconteceram nesse prédio em Edimburgo e ele continua aqui, com suas imensas paredes praticamente intactas.

Para muitas pessoas aquele velho edifício foi um lugar feliz, para outras foi um lugar triste… Eu senti que precisava escolher como me lembraria dele. Tudo o que não era pedra passou. Nenhum drama do passado faz sentido hoje.

Abri o aplicativo de mensagens e vi que minha família estava reunida para o almoço de domingo. Escolhi fazer uma vídeo chamada dali e sentir o carinho da minha mãe, dos meus irmãos e sobrinhos. Escolhi lembrar daquele casarão como o lugar onde me conectei com quem é importante na minha vida.

Contei que estava na cidade do Harry Potter, falei que estou feliz e vi o rostinho de satisfação da minha mãe. Ela está orgulhosa e eu também estou. Mandei fotos, recebi beijos das crianças. Sorri com meus irmãos e cunhados.

Edimburgo estava no meu inconsciente e aconteceu inesperadamente. Foi uma grata surpresa saber que eu queria passar por essa cidade medieval tão pequena e ao mesmo tempo tão imensa. Eu me senti orgulhosa de planejar e executar a viagem toda sozinha.

No fim da tarde me sentei num parque e me imaginei como um pontinho minúsculo visto do céu. Eu estou na Escócia! Senti um frio gostoso no estômago e não sei mais o que dizer, pois a partir daí veio um misto de riso, lágrimas, medo e gratidão que eu ainda iria sentir centenas de vezes durante a jornada.

Eu ainda não sei dar um nome para esse momento. Acho que é presente, em todos os sentidos possíveis da palavra.

Deixe uma Resposta