Couchsurfing para mulheres: dicas para se hospedar com segurança

Couchsurfing para mulher é seguro? A maioria das mulheres tem uma insegurança muito grande sobre o tal surf de sofá. Dormir na casa de um completo desconhecido soa assustador no primeiro momento, mas sabendo escolher seu anfitrião, dá pra fazer numa boa.

O Couchsurfing é uma rede social de hospedagem. A ideia básica é: hoje alguém te hospeda, amanhã você hospeda alguém (e vice e versa).

Eu nunca havia feito couchsurfing antes de iniciar minha viagem de volta ao mundo e minha primeira experiência foi em Montreal, no Canadá. Era um cara mais velho, pioneiro no CS na cidade. A casa dele não era lá muito limpa, mas ele tinha mais de 160 referências positivas e havia uma viajante do Uzbequistão hospedada no mesmo período que eu. Eu fui numa aula de Bachata com ela e foi incrível.

O primeiro passo é ter seu perfil escrito em inglês. É importante dizer o que você gosta de fazer, seu estilo de vida e o que pode dividir com seu anfitrião (ou com seu hóspede).

Você pode colocar sua viagem pública ou enviar solicitações individuais para os anfitriões disponíveis. Eu faço as duas coisas e nas duas opções é importante ler todo o perfil do possível host, inclusive (e principalmente) as regras da casa dele. Saber se você vai dormir na sala, num quarto só pra você, ou se vai dividir o mesmo espaço com seu anfitrião é importante, principalmente se ele for homem, né?

Sim, a maioria das ofertas de hospedagem parte de homens. Tem os que estão procurando um date, como em todo lugar, mas a maioria sabe respeitar as regras da comunidade. Tem muito cara legal que só quer compartilhar experiências e ganhar referências para ser aceito como hóspede em futuras viagens.

Eu tive experiências super gratificantes de hospedagens com homens desde o início da viagem. Em Munique, por exemplo, dividi o mesmo quarto com o Massimiliano e tive uma estadia adorável.

Cozinhamos um para o outro, falamos sobre viagens (ele também já deu uma volta ao mundo), saímos para beber com os amigos dele e compartilhamos muitas risadas com os memes do 7 a 1 da Alemanha no Brasil. Tudo isso sem nenhum interesse sexual de ambas as partes.

Referência do meu anfitrião em Munique

Paula é uma das pessoas mais legais que eu já conheci no Couchsurfing. Ela é super amigável, agradável, limpa e sempre disponível para sair junto. Tivemos uma noite divertida em Munique e boas conversas. Espero te ver em breve no Brasil. Sempre vou estar aqui se você precisar! Eu super recomendo hospedá-la. abraço. Massi 🙂

Eu deixei muito claro no meu perfil que não estou procurando um relacionamento, isso já dá uma boa filtrada. Apesar disso, não me senti confortável em aceitar um sofá para surfar na Itália. No primeiro dia que postei minha viagem à Roma, recebi 22 ofertas, todas de homens, e isso me assustou um pouco. O normal é receber de três a quatro. Então eu optei por um hostel.

Basicamente o meu conselho é avaliar bem os perfis e ser criteriosa. Não tenha medo de ser mal educada. Você não precisa justificar uma recusa. Basta clicar em cancelar e segue o baile.

Dicas de segurança para se hospedar pelo Couchsurfing:

  • Aceitar ofertas ou enviar solicitações apenas para membros verificados (especialmente se foram homens). Isso significa que o site teve acesso pelo menos aos dados bancários do cidadão, já que é preciso pagar uma taxa para ser verificado.
  • Ler as referências sempre é importante. Quando eu aceito oferta de homens eu só aceito de quem tem referências. Mas isso ainda não é garantia de sucesso, pois a maioria dos viajantes não gosta de enviar uma referência negativa, preferem deixar em branco. (Eu tive uma experência desagradável na Irlanda com um cara que só tinha boas referências. Conto mais adiante).
  • Escolhido o anfitrião, envie os dados dele para alguém de sua confiança. Eu tenho um grupo no whatsapp composto por duas amigas e minha irmã. Ali eu mando as minhas localizações durante a viagem. Um dia antes de partir para o novo destino eu envio o endereço de onde vou ficar e o máximo de informações que puder. Se for Couchsurfing, mando o telefone da pessoa e um print do perfil dela também, além do perfil no facebook ou instagram, se tiver.
  • Confie na sua intuição. Normalmente você lê o perfil, vê as fotos e as referências e troca uma conversa com a pessoa antes de aceitar a hospedagem. Acredite, a gente sente quando dá pra confiar. Sentiu uma vibe legal? Então segue os passos acima e seja grata.

Por quê a maioria dos homens no Couchsurfing oferece hospedagem apenas para mulheres?

Eu também me fiz essa pergunta. Você lê as referências, são todas positivas, mas são apenas de mulheres. Por quê?

Bem, o que eu entendi conversando com meus anfitriões é que eles se sentem inseguros em receber homens em suas casas. Por outro lado, eles também tem dificuldade em conseguir se hospedar pelo Couchsurfing quando estão viajando e precisam de boas referências para aumentar as chances. Então, não julgue mal à primeira vista, certo?

Outra coisa. Mulheres quase nunca respondem solicitações de hospedagem. Normalmente tem mais mulheres pedindo sofá do que oferecendo. Hoje (10 de setembro de 2018), faz sete meses que estou na estrada e já me hospedei com dez anfitriões em sete países. Apenas duas eram mulheres. Foram experiências incríveis, pois me senti muito mais à vontade, é claro. Já mandei muita solicitação para mulheres, mas pouquíssimas retornaram.

A hospedagem no Couchsurfing é grátis?

Você não paga nada para se hospedar, mas o Couchsurfing é mais do que uma cama e um chuveiro grátis. Se você escolher se hospedar por esta plataforma, deve estar preparada para compartilhar momentos com seu anfitrião ou anfitriã.

Não custa nada se oferecer para cozinhar, lavar uma louça ou passar algumas horas conversando. E também não acho educado se hospedar na casa de alguém e não aceitar participar de nenhuma atividade com quem está te acolhendo. É claro que você não é obrigada e ficar grudada e fazer tudo com o seu anfitrião, eles nem tem toda essa disponibilidade, mas sair para um café ou reservar um tempo para jogar conversa fora é importante.

Na verdade, uma das coisas mais ricas da viagem são esses momentos. O Couchsurfing conecta viajantes. Escolha um anfitrião com pontos em comum com você e viva a experiência.

Minha experiência negativa com Couchsurfing na Irlanda

Meu anfitrião era verificado e tinha 16 referências positivas e nenhuma negativa. Eu havia aceitado uma hospedagem antes, mas troquei porque achei a casa deste último mais perto do centro de Dublin. Eu não estava muito conectada com a minha intuição e segui só as referências.

É importante dizer que ele não cometeu nenhum abuso comigo, mas a casa dele era incrívelmente suja e ele estava o tempo todo bêbado.

Eu cheguei em Dublin por volta das 7h da manhã de um sábado e ele foi muito gentil em me receber tão cedo, mas estava completamente bêbado. Eu relevei pois a Irlanda estava vivendo um dos verões mais quentes dos últimos anos, ele saiu para beber numa noite de sexta-feira e, you know, ele é irlandês, né? Os irlandêses gostam de beber.

A sujeira na casa me incomodou muito. Homens geralmente são menos cuidadosos com limpeza, mas o espaço dele estava realmente sujo (muito sujo).

Eu saí para conhecer Dublin e quando voltei a noite, por volta das 23h, ele estava bebendo (de novo) com um amigo no sofá que havia me oferecido para dormir. Haviam várias latas de cerveja espalhadas e sobre a mesinha de centro tinha maconha e cocaína.

Eu sou super mente aberta sobre o uso de drogas, defendo a legalização da maconha e acho que cada um é livre para fazer o que quiser. Mas eu não sabia o quanto ele havia bebido e o quanto de droga ele havia usado. Já vi muito amigo perder a noção misturando cerveja, cocaína e outras drogas. Então eu não me senti segura para continuar lá.

Como já era quase meia-noite, acabei ficando lá, mas passei a noite em claro. No domingo, reservei um hostel e parti sem dar explicações. Essa experiência me ensinou que não sou obrigada a explicar minhas escolhas para ninguém.

Inicialmente não escrevi nenhuma referência, mas depois de algumas semanas, quando já estava longe da Irlanda, eu achei que deveria avisar outras mulheres que pudessem aceitar hospedagem dele, pois eu gostaria de ter sido avisada.

Novamente, ele não cometeu nenhum abuso comigo, talvez estivesse apenas vivendo um período difícil. Mas eu não posso adivinhar, né?

Couchsurfing te dá uma nova perspectiva de mundo

Eu conheci pessoas e estilos de vida muito particulares nessas experiências pelo Couchsurfing. Me hospedei numa casa barco nos arredores de Londres com um cara que faz corte de cabelo espiritual e passeei de carro conversível em Budapeste, só para citar dois exemplos.

Mas o principal, tive conversas inspiradoras e sei que deixei algo positivo em cada casa que me acolheu. Se você é aventureira, quer economizar e gosta de conhecer gente diferente, eu super recomendo fazer Couchsurfing.

2 Respostas para “Couchsurfing para mulheres: dicas para se hospedar com segurança”

Deixe uma Resposta